Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física

Documentos

Ordenar por : Nome | Data | Acessos | [ Descendente ]

01 - Capa do Livro 01 - Capa do Livro

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 2.35 MB
Downloads: 2
The document is being edited/updated by a User and is unavailable at this moment.

07 - COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA 07 - COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA

hot!
Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 335.86 kB
Downloads: 160

DORENSKI, Sérgio; LEIRO, Augusto Cesar Rios. Comunicação e Educação Física: movimentos concêntricos no diálogo entre as áreas e seus reflexos na e para a escola. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 57-69, 2016.

RESUMO

Esta pesquisa apresenta elementos significativos que ratificam a importância de relacionar a Educação Física e a Mídia na formação dos alunos da educação básica em nosso país, principalmente, na escola pública na qual as experiências neste campo ainda são raras.

11 - POSSIBILIDADES DIDÁTICAS DE ARTICULAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E O CINEMA 11 - POSSIBILIDADES DIDÁTICAS DE ARTICULAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E O CINEMA

hot!
Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 412.29 kB
Downloads: 165

FERRARI, Rodrigo Duarte. Possibilidades didáticas de articulação entre a Educação Física e o Cinema através da intercorporeidade. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 120-134, 2016.

RESUMO

Educação e Cinema são campos teóricos e práticos distintos, porém, se cruzam desde o século XX, período em que o cinema foi inventado e desenvolvido, escreve Xavier (2008). Segundo o autor, esta união se materializa porque ambos fazem parte dos processos de formação cultural e social. De acordo com Fantin (2011), o uso mais comum do cinema é como instrumento didático, por exemplo, quando professores utilizam os conteúdos de filmes com suas disciplinas ou temas de aulas. Outra possibilidade é abordar o cinema como objeto de estudo, isto inclui o ensino-aprendizagem da linguagem cinematográfica, da experiência estética e do exercício da reflexão crítica. Pode-se também educar através da produção cinematográfica, proposta em que a centralidade é a experiência da prática do cinema pelos professores e alunos. Estas dimensões não são categorias isoladas e muitas vezes, todas elas se articulam numa mesma proposta, que segundo Fantin (2011) pode ser denominada de educação com e sobre o cinema.

18 - QUEM FOI “MAIS BRASIL” NOS JOGOS OLÍMPICOS  DE LONDRES/2012? 18 - QUEM FOI “MAIS BRASIL” NOS JOGOS OLÍMPICOS DE LONDRES/2012?

hot!
Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 485.66 kB
Downloads: 176

LISBÔA, Mariana Mendonça et al. Quem foi “Mais Brasil” nos Jogos Olímpicos de Londres/2012? Enquadramentos do jornalismo esportivo na tv aberta. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 217-229, 2016.

RESUMO

Em Londres/2012, pela primeira vez em muitos anos, uma edição dos Jogos Olímpicos (JO) não seria televisionada em sinal aberto no Brasil pela Rede Globo de Televisão, e sim pela Rede Record, detentora de um pacote, que envolveu também os Jogos Olímpicos de Inverno (Vancouver, 2010) e os Jogos Pan-americanos (Guadalajara/2011).

06 - EDUCAÇÃO, TERRITÓRIO E TECNOLOGIAS DIGITAIS 06 - EDUCAÇÃO, TERRITÓRIO E TECNOLOGIAS DIGITAIS

hot!
Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 216.93 kB
Downloads: 178

MUNARIM, Iracema; PEREIRA, Rogério Santos; GIRARDELLO, Gilka. Educação, Território e Tecnologias Digitais: a experiência nas escolas das Ilhas Egadi (Itália). In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 43-56, 2016.

RESUMO

Este artigo busca discutir a apropriação pedagógica de tecnologias digitais nas escolas das Ilhas Egadi, no sul da Itália, visitadas em 2012 durante o nosso período de estágio sanduíche no exterior (CAPES/PDSE)3. Ao pesquisarmos a inserção das tecnologias digitais nas escolas do campo no Brasil, encontramos nas escolas isoladas italianas um contexto que nos permitiu refletir sobre as dificuldades que enfrentamos em nosso país e conhecer caminhos de intervenção pedagógica que reforçam o papel social e político da escola nas comunidades. Essa aproximação entre dois cenários distintos e geograficamente distantes teve como inspiração o depoimento de uma professora italiana que narrou suas experiências pedagógicas com o uso de tecnologias em um evento acadêmico que versava sobre o uso de dispositivos digitais móveis no campo da aprendizagem. A vontade de conhecer melhor seu trabalho nos levou ao arquipélago Egadi, formado por três ilhas que pertencem à região da Sicília, sul da Itália: Favignana, Marettimo e Levanzo.