Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física

Documentos

Ordenar por : Nome | Data | Acessos | [ Descendente ]

01 - Capa do Livro 01 - Capa do Livro

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 2.35 MB
Downloads: 2
The document is being edited/updated by a User and is unavailable at this moment.

07 - COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA 07 - COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO FÍSICA

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 335.86 kB
Downloads: 74

DORENSKI, Sérgio; LEIRO, Augusto Cesar Rios. Comunicação e Educação Física: movimentos concêntricos no diálogo entre as áreas e seus reflexos na e para a escola. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 57-69, 2016.

RESUMO

Esta pesquisa apresenta elementos significativos que ratificam a importância de relacionar a Educação Física e a Mídia na formação dos alunos da educação básica em nosso país, principalmente, na escola pública na qual as experiências neste campo ainda são raras.

10 - EDUCAÇÃO FÍSICA, CURRÍCULO, FORMAÇÃO E CULTURA ESCOLAR 10 - EDUCAÇÃO FÍSICA, CURRÍCULO, FORMAÇÃO E CULTURA ESCOLAR

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 229.13 kB
Downloads: 75

BIANCHINI, Leandro; PIRES, Giovani De Lorenzi. Educação Física, Currículo, Formação e Cultura Escolar: percepções de professores acerca de suas formações permanentes. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 98-119, 2016.

RESUMO

Nesse artigo buscamos compreender as possíveis influências que a cultura escolar vem causando nas práticas pedagógicas de professores de Educação Física que são egressos de um curso onde teve um currículo com características críticas e, portanto, se enquadrando numa concepção mais renovada e crítica de Educação Física. Tendo uma formação comum e estando hoje atuando em realidades distintas, consideramos que tais professores possam nos trazer indícios de quanto esta formação inicial está refletindo em suas práticas e quanto eles estão sendo influenciados pela formação permanente presente em suas respectivas culturas escolares. Temos alguns questionamentos que permeiam esse estudo, são eles: Os professores estão buscando desenvolver novas perspectivas nas suas aulas de Educação Física? Qual a visão de mundo de tais professores? Quais são suas opções pedagógicas diante das diversas situações que ocorrem em suas aulas? E, por fim, qual o impacto que a cultura escolar vem causando na identidade docente em relação ao impacto da formação inicial? 

08 - A SINGULARIDADE NA MULTIPLICIDADE 08 - A SINGULARIDADE NA MULTIPLICIDADE

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 26/08/2016
Tamanho: 234.12 kB
Downloads: 77

MIRANDA, Lyana Thédiga de; FANTIN, Monica. A singularidade na multiplicidade: crianças e tecnologias móveis na escola no contexto da cultura digital. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 70-84, 2016.

RESUMO

Muitas são as possibilidades de refletir sobre a relação entre educação e comunicação na escola ou fora dela. Parte da complexidade que envolve esse entorno pode ser discutida a partir do conceito de ecossistema comunicativo proposto por Martín-Barbero.

 

11 - POSSIBILIDADES DIDÁTICAS DE ARTICULAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E O CINEMA 11 - POSSIBILIDADES DIDÁTICAS DE ARTICULAÇÃO ENTRE EDUCAÇÃO FÍSICA E O CINEMA

Adicionado em: 25/08/2016
Date modified: 25/08/2016
Tamanho: 412.29 kB
Downloads: 77

FERRARI, Rodrigo Duarte. Possibilidades didáticas de articulação entre a Educação Física e o Cinema através da intercorporeidade. In: BRUGGEMANN, Angelo Luiz; BIANCHI, Paula; SANTOS, Silvan Menezes dos. Pesquisa e Formação em Mídia-Educação Física. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 120-134, 2016.

RESUMO

Educação e Cinema são campos teóricos e práticos distintos, porém, se cruzam desde o século XX, período em que o cinema foi inventado e desenvolvido, escreve Xavier (2008). Segundo o autor, esta união se materializa porque ambos fazem parte dos processos de formação cultural e social. De acordo com Fantin (2011), o uso mais comum do cinema é como instrumento didático, por exemplo, quando professores utilizam os conteúdos de filmes com suas disciplinas ou temas de aulas. Outra possibilidade é abordar o cinema como objeto de estudo, isto inclui o ensino-aprendizagem da linguagem cinematográfica, da experiência estética e do exercício da reflexão crítica. Pode-se também educar através da produção cinematográfica, proposta em que a centralidade é a experiência da prática do cinema pelos professores e alunos. Estas dimensões não são categorias isoladas e muitas vezes, todas elas se articulam numa mesma proposta, que segundo Fantin (2011) pode ser denominada de educação com e sobre o cinema.